arquivo

Arquivo da tag: o lado bom da vida

blooog

Terminei a leitura no meio do mês de Julho e até já tinha terminado de escrever esse post mas estava quase desistindo de postar (não sei exatamente porque) mas hoje o dia estava bonito aí resolvi fotografar  e postar aqui. E a partir de agora não vou mais fazer um post pra cada livro que eu ler, vou fazer um post todo fim de mês contando o que eu li “leituras do mês”. hahaha

O livro foi escrito por  Matthew Quick  e foi lançado aqui no Brasil pela editora Intrínseca.

O livro começa narrando  a história  de Pat, que acabou de sair de um instituição psiquiátrica (não é mencionado qual a doença, mas no filme é bipolaridade, então deve ser isso no livro também né), ele costuma ter ataques de fúria, principalmente quando ouve a música que tocou em seu casamento (leia e descubra porque). Não se sabe exatamente quanto tempo ele ficou por lá, mas cerca de oito meses e não se lembra porque foi parar na clínica, a qual chama de lugar ruim.

O torcedor fanático dos Eagles e viciado em exercícios físicos, é ignorado pelo pai, não tem mais emprego e foi deixado pela esposa (Nikki), mas como o título já diz, ele tenta sempre ver o lado bom da coisas, da vida e tem uma mãe (Jeanie), um irmão (Jake) e alguns amigos dispostos a ajuda-lo a recomeçar a vida.

Jeanie é uma mulher incrível e tem um amor enorme por seu filho, coisa bonita de se ver.
O pai dele é fanático pelos Eagles,  passa maior parte do tempo no escritório e quase nunca fala com Pat.

intris

Pat é apaixonado por Nikki e tudo que faz depois que saí do lugar ruim é em função dela, tentando sempre ser gentil ao invés de ter razão. Só que como não se lembra das coisas, também não lembra porque Nikki o deixou e sempre que pergunta para alguém sobre ela, as pessoas desconversam e sempre mudam de assunto. Então  ele acredita que está separado dela para que de alguma forma isso não atrapalhe na sua recuperação e chama isso de o tempo separados. Mas aí você vai vendo ao passar da história que não é bem isso…

Em um jantar de um amigo dele de infância (Ronnie) ele conhece, Tiffany que é irmã da mulher de Ronnie (é a menina da capa, que eu achei que representava Nikki). Tiffany é viúva, depressiva, divertida e talvez até um pouco manipuladora.

Depois do jantar, Tiffany começa a seguir Pat todos os dias enquanto ele corre, como já disse, ele é viciado em exercícios físicos, e ao passar do tempo eles se aproximam e ela tenta ajuda-lo a acabar com o tempo separado, mas para isso acontecer ela faz com que Pat tope participar de um concurso de dança com a missão de vencer e então ele resolve participar (mesmo não sabendo dançar, mas ele faz de tudo para reencontrar Nikki), Tiffany meia maluca empoe algumas regras e umas delas é que Pat não poderá assistir os jogos Eagles (porque seria uma distração, e poderia colocar em risco a vitória) para que ele possa estar 100% focado nos treinos. (Não vou contar se eles venceram porque seria spoiler).

Pat e Tiffany criam uma relação que consegue fazer com que o enredo do livro seja bastante divertido.

Enquanto treinam, Pat tem que deixar de assistir os jogos e como essa era uma das formas que ele tinha de tentar se aproximar de seu pai… as coisas só pioram.  O pai dele começa achar que o fato dele ter deixado ver os jogos possa estar dando azar.

Basicamente é isso, vamos juntos com Pat tentando entender o que aconteceu e acabar com o tempo separado e finalmente rever a Nikki.  O livro é simples, mas acho que é isso que o torna tão bom, acho que a melhor forma de vocês entenderem realmente a trama é lendo a história.

mattew

olado

Algumas pessoas disseram que Matthew é um pouco repetitivo mas esse é o primeiro livro que leio do autor e como Pat é deficiente mental achei que a repetição pode ter sido proposital e sendo assim não posso afirmar que ele tem uma escrita repetitiva.

Recomendo muito essa leitura, o livro é curto, tem uma história muito bacana, contém bastante dialogo (não é aquela coisa “zzZz”) e é impresso em um papel muito bom (Chambril), ou seja: não tem porque não ler.

Ah, não gostei do filme… acho que só quem realmente me convenceu foi a Jennifer Lawrence que interpretou a Tiffany e a adaptação não foi tão fiel a o livro.

Sábado bonito, porém acordei as 14h e não sai de casa… mas fotografei.

bokeh

matofrozi

E por fim uma foto dos últimos livros que eu comprei e falei já falei aqui no blog. Comecei Jogos Vorazes anteontem e tô gostando bastante.

jogs

ausas